30 de abr de 2010

A SERPENTE CONVERTIDA

Num vilarejo indiano, uma serpente morava em certo lugar por onde ninguém se atrevia a passar. Todos que o faziam eram mortalmente mordidos e envenenados no mesmo instante. Certa vez, um Mahatma (homem de alma elevada) passou pelo caminho, e a serpente correu atrás do sábio a fim de mordê-lo. Quando, porém, a serpente se aproximou do santo homem, perdeu toda a sua ferocidade e foi dominada pela mansidão do homem. Vendo a serpente, disse o sábio:

- Muito bem, amiga, pensas em me morder?

A serpente envergonhou-se e não respondeu. Então disse o sábio:

- Escuta, amiga; não maltrates mais ninguém no futuro.

A serpente curvou-se, mostrando que concordava. O sábio seguiu o seu caminho, e a serpente voltou ao seu lugar. Daí por diante, começou a levar uma vida de inocência e pureza, sem sequer tentar maltratar quem quer que fosse.

Dentro de poucos dias, toda a vizinhança começou a pensar que a serpente perdera todo o seu veneno e já não era perigosa. Assim, todo mundo passou a persegui-la. Alguns a apedrejavam, outros a arrastavam pela cauda impiedosamente, e, desse modo, não tinham fim os seus padecimentos.

Felizmente, o sábio tornou a passar pela estrada e, vendo como a boa serpente se encontrava ferida e maltratada, sentiu-se muito comovido e indagou-lhe qual fora a causa de tal coisa.

Ao que a serpente respondeu:

- Santo senhor, é porque não maltrato mais quem quer que seja, segundo o vosso conselho. Mas ai de mim! Eles não têm misericórdia!

Sorrindo, o sábio replicou:

- Minha cara amiga, eu simplesmente disse para não morderes quem quer que fosse, mas não disse para não amedrontares os outros. Embora não mordas qualquer criatura, podes conservá-las a uma considerável distância, com o teu silvo.

Do mesmo modo, se vives no mundo, faze-te temido e respeitado. Não maltrates os outros, mas também não se deixe ser maltratado.


Recebemos do Portaldiabetenet.com.br
Procura-se a autoria do texto, se souber informe-nos por gentileza



=============================

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente sobre a mensagem acima que você leu