31 de mar de 2014

De onde venho? Para onde vou?



A ciência não pode nos dizer uma palavra sobre porque a musica nos traz satisfação.
Do porquê e como uma antiga canção pode nos levar as lagrimas.
A Ciência, neste ultimo caso, cremos nós, pode, em principio, descrever em detalhes tudo o que acontece em nosso sistema sensorial e "motor" , do momento em que ondas de compreensão e dilatação chegam ao nosso ouvido até o momento em que certas glândulas secreta um liquido salgado que emerge dos nossos olhos.
Porém, acerca dos sentimentos de alegria e tristeza que acompanha o processo, a ciência é completa ignorante e por esta razão reticente.
A ciência também é reticente quando se trata da grande unidade __O UNO de Parmênides __ de que todos nós de alguma forma fazemos parte, a qual nós pertecemos.
O Nome mais popular para isso em nosso tempo é - deus com D maiúsculo.

DE ONDE VENHO? PARA ONDE VOU?
Essa é a grande questão insondável, a mesma para cada um de nó.
A ciência não tem resposta para isso.

( Erwin schrodinger -- Austriaco, Premio Nobel de física - 1933 )

16 de mar de 2014

FAÇA BRILHAR SUA ESTRELA DE CAMPEÃO



Roberto Shinyashiki


Só a percepção da necessidade de mudança irá impulsioná-lo em direção a um mundo melhor. E isso vale para todos, especialmente para aqueles que se julgam estar seguros nas estrelas que construíram

               Alcançar a glória no final de um caminho é sempre mais estimulante que o percurso que nos leva a ela. Isso porque é infinitamente mais simples imaginar campeões prontos, acabados, cheios de sucesso e energia, que se firmaram de uma hora para outra. Quando essa imagem vem à mente, a maioria das pessoas não se lembra de como foi feito o caminho que levou esses campeões a serem o que são hoje. Na verdade, essa é a explicação para o ditado que diz que por trás de todo o prazer há superdoses de sacrifícios, perseverança, abstinência, e muita, muita disciplina. Se existem estrelas, é possível imaginar que haja uma estrada para chegar até elas numa vez que as estrelas brilham para todos que se permitem olhá-las. Mas qual é o caminho, por onde ele passa? Vamos aqui traçar um panorama do que significa esse percurso para as estrelas. A primeira coisa a se lembrar é que esse trajeto não está pronto. Significa que cada um terá de construí-lo, segundo sua característica, perfil, desejo e disposição. O segundo ponto fundamental é o seguinte: vá além da sua zona de acomodação e ande com suas próprias pernas para o sucesso. No trajeto, enfrente os dragões da inércia, lute contra os fantasmas do desconhecido e tome sua carreira com suas próprias mãos.
                Feito isso, considere o seguinte: a vida é a busca por uma constante expansão de fronteiras, uma eterna superação de limites. Isso sempre foi válido, mas nos dias de hoje assumir essa postura é essencial para o sucesso, o que constitui um bom argumento para tirá-lo da zona de acomodação. Só a percepção da necessidade de mudança irá impulsioná-lo em direção a um mundo melhor. E isso vale para todos, especialmente para aqueles que se julgam estar seguros nas estrelas que construíram. Se você for uma pessoa bem-sucedida, terá um grave problema pela frente: as características que a levaram a ocupar a posição em que se encontra hoje não serão suficientes para levá-la onde você precisa estar amanhã.
               Parte dessa caminhada consiste em perceber que profissionais experientes têm de ficar atentos para analisar se a experiência deles é válida para este mundo moderno, pois é um ambiente completamente diferente daquele que nossos pais viveram. Por exemplo, pense numa cozinha contemporânea. Quantos aparelhos novos existem? Vejamos: forno de microondas, multiprocessadores, triturador de lixo, máquina de lavar pratos, cafeteiras elétricas, enfim, tantas novidades, mas que, certamente, vão ficar obsoletas em pouco tempo. Isso para ficar num só aspecto da vida moderna.
                No comércio, a concorrência se torna cada vez mais feroz: pequenos estabelecimentos, lojinhas em geral, têm de enfrentar as grandes redes de supermercados, farmácias, magazines, megastores as quais, por seu lado, possuem um custo fixo tão elevado que, se não tiverem um imenso volume de vendas e um controle férreo de seus gastos, vão entrar direto no vermelho. Afinal de contas, não é um mundo fácil para ninguém. Se você for uma pessoa bem-sucedida, terá um grave problema pela frente: as características que a levaram a ocupar a posição em que se encontra hoje não serão suficientes para levá-la onde você precisa estar amanhã. E não esqueça jamais: os campeões mantêm intacta toda o sua força de ser humano. Em geral, estabelecem seu sucesso a partir de sua própria vocação e valores. E têm, além disso, um forte sentido de direção, porque criam sua trajetória particular, aproveitando o que existe de melhor no ambiente em que atuam. Se ele não sabe, aprende. E ensina o que aprende, compartilhando o que sabe. Seu poder está em desenvolver a força dos seus companheiros, e não em deter o controle sobre os outros. Seus olhos estão atentos para cada oportunidade da vida.
              O campeão sabe preservar sua beleza interior. Realiza suas metas com força e a certeza da conquista. Quando sofre ameaças, sente medo porque manteve seu coração pleno de sentimentos e não se deixou robotizar. Mas avança sempre na direção de suas metas de vida. 





9 de mar de 2014

O Sal da vida.


Conta-se que, há muitos anos, viveu um sábio que era seguido por inúmeros discípulos.
Certa vez, porque enfrentava dificuldades incontáveis, um desses discípulos o procurou, a fim de com ele se aconselhar.
Mestre, muito estou sofrendo, disse o jovem. Já não vejo solução para os problemas que me atormentam. Preciso de sua ajuda.
Pois bem, respondeu o mestre, gentil como sempre. Caminhe comigo até a cozinha.
Foram os dois, conversando, e o discípulo colocou o sábio a par de suas dificuldades.
Em seguida, o mestre pediu: Meu jovem, traga-me o recipiente no qual guardamos o sal.
O rapaz prontamente obedeceu e entregou ao sábio o que fora solicitado.
Tendo em suas mãos um copo cheio d’água, o mestre disse ao discípulo: Agora, pegue um generoso punhado de sal e o misture neste copo com água. Depois, quero que tome um grande gole.
O aprendiz, ainda que contrariado, obedeceu às instruções.
Qual o gosto? Questionou o sábio.
Ruim, muito ruim! Respondeu o discípulo, franzindo o rosto.
Pois bem, continue a caminhar comigo. Vamos ao lago.
E mais uma vez foram ambos andando, lado a lado, até chegarem ao lago.
O mestre trouxera consigo o recipiente com sal e, próximo à margem, disse ao discípulo:
Quero que você pegue um generoso punhado de sal e o jogue no lago.
O jovem obedeceu e, assim que o fez, recebeu nova ordem:
Agora se abaixe e tome um gole d’água do lago.
O rapaz, abaixando-se, tomou não somente um, mas muitos goles, pois aquela era uma água muito refrescante.
E agora? Qual o gosto? Sentiu o gosto do sal? Arguiu o mestre.
Não, de forma alguma! Pelo contrário, essa água foi capaz de matar minha sede! Contrapôs o discípulo.
As dificuldades que enfrentamos na vida são como um punhado de sal diluído.
Se você tem suas dificuldades em mãos e as dilui em seu egoísmo, faz o mesmo que diluir o sal no copo d’água e, assim, elas se tornam difíceis de serem superadas.
Por outro lado, prosseguiu, se você as dilui em sua capacidade de aprendizado, é como diluir o sal no lago e os problemas deixam de existir.
Restarão apenas, concluiu o mestre, as lições que cada dificuldade carrega consigo e que são as responsáveis por nos fazer avançar na senda do progresso.
* * *
Muitos são os que extraem dos problemas e das dificuldades somente o sofrimento.
Se vislumbrarmos o panorama de nossas amarguras com os olhos do pessimismo, egoísmo ou orgulho, teremos sempre motivos para nos queixarmos de nossa sorte.
Por outro lado, se contemplarmos tal cenário com consciência de que nenhuma dor é eterna e de que cada dificuldade é oportunidade redentora, tal qual o tombo que por vezes machuca, mas que ensina a melhor caminhar, jamais nos queixaremos novamente.
Antes, agradeceremos ao Senhor da Vida por mais uma lição...
Pensemos nisso... E pensemos agora!
Redação do Momento Espírita

======================================

SAIBA OUVIR E TODOS TE OUVIRÃO! UMA DICA IMPORTANTE SOBRE LIDERANÇA!



            Algumas pessoas acham que um gerente, chefe ou até mesmo um líder é alguém soberano em suas decisões, idéias e opiniões. Acreditam, além disso, que
ouvir subordinados é um sinal de fraqueza, falta de pulso e indecisão. Nada
mais falso que isto!
            Outros ainda até escutam seus funcionários mas, na verdade, não ouvem nada.
            Ou seja, estão de corpo presente mas são incapazes de meditar,aceitar ou ao menos prestar atenção naquilo que estão querendo dizer.
            O verdadeiro líder sabe ouvir e aproveitar informações e sugestões de seus
colaboradores. Ele sabe que se portando desta maneira, a equipe irá
considerá-lo ainda mais.
            Além disso, quem ouve seus subordinados ganha créditos com eles pois: -
Eles sentem que suas sugestões são importantes na organização; - Sentem-se tratados de maneira individual; - Estarão dispostos a trabalhar por alguma causa ou meta - porque foram ouvidos e opinaram; - Proporciona uma melhor integração no trabalho em equipe.

            O que precisamos saber então é esta verdade inquestionável da liderança:
Saiba ouvir a todos e todos te ouvirão!

Daniel Godri

==================================================================

QUEM É VOCÊ




               Uma moça queixou-se a seu pai sobre sua vida e de como as coisas estavam tão difíceis para ela.
Ela já não sabia mais o que fazer e queria desistir.
Estava cansada de lutar e combater.
Parecia que, assim que um problema estava resolvido, um outro surgia.
               Então, seu pai levou-a até a cozinha. Encheu três panelas com água e colocou cada uma delas em fogo alto.
Logo, as panelas começaram a ferver.
Em uma delas, colocou cenouras, em outra, ovos e, na última, pó de café.
Deixou que tudo fervesse, sem dizer uma palavra.
A filha deu um suspiro e esperou impacientemente, imaginando o que ele estaria fazendo.
Minutos depois, ele apagou o fogo.
Pegou as cenouras, os ovos e o café, colocando-os em recipientes separados.
Virou-se para a filha e perguntou: - Querida, o que você está vendo? - Cenouras, ovos e café - ela respondeu.
               Ele a trouxe para mais perto e pediu-lhe para experimentar as cenouras.
Ela obedeceu e notou que as cenouras estavam macias. Ele, então, pediu-lhe que pegasse um ovo e o quebrasse.
Ela obedeceu e, depois de retirar a casca, verificou que o ovo endurecera com a fervura.
Finalmente, ele lhe pediu que tomasse um gole do café.
Ela sorriu ao sentir seu aroma delicioso e então perguntou: - O que isto significa, pai?
 - Cada um destes? A cenoura, o ovo e o café? Enfrentou a mesma adversidade, a água fervendo, mas cada um reagiu de maneira diferente.
A cenoura, outrora crua e rígida, amolecera e se tornara frágil.
Os ovos, antes frágeis, mesmo com sua casca protegendo o líquido interior, tornaram-se firmes e mais resistentes. Já o pó de café é incomparável: depois que o coloquei na água fervente, ele mudou a própria água.
               Após profundo silêncio, o pai prosseguiu: - Qual deles é você? Quando a adversidade bate à sua porta, como você responde? Você é a cenoura, o ovo ou o pó de café? Você é como a cenoura, parecendo firme e forte, mas, com a dor e a adversidade, murcha e se torna frágil, perdendo sua força? Ou será que você é como o ovo, começando maleável, mas, depois de sofrer alguma pressão da vida, torna-se dura? Sua "casca" até parece a mesma, mas por dentro, você está dura.      Será que você é como o pó de café? Você transforma o meio que a aflige, altera o que está trazendo a dor e oferece algo melhor e mais gostoso do que havia antes da adversidade?
               E você, Amiga(a)? Como lida com a adversidade?
Pense nisto. Você é a cenoura, o ovo ou o café?

====================================


ONDAS



Um momento você tem falta.
No momento seguinte você tem excesso.

Um dia você não tem nada para fazer.
No dia seguinte você nem tem tempo para fazer tudo.

Um dia a geladeira está vazia e você está com fome.
No dia seguinte você ainda tem metade da refeição à sua frente e você já está satisfeito.

Um mês você tem dinheiro de sobra e nem sabe o que comprar.
No mês seguinte você tem déficit na conta bancária e um cheque sem fundos.

Um momento você está cheio de energia e não consegue dormir.
No momento seguinte você está cansado e não consegue levantar.

Um dia você é o centro das atenções.
No dia seguinte ninguém quer saber se você está vivo.

São as ondas da vida.
Carregam-nos para cima e para baixo.

Dinheiro, amigos, seu corpo, seus relacionamentos, seu trabalho, e todo o resto da lista, tudo varia.
Tudo vai com as ondas.

Os comerciais fazem você acreditar que tem que ter o carro novo ou a tevê de tela grande.
Sim, estas coisas podem excitá-lo por um momento,
mas é somente uma onda.
Quando menos esperar, a emoção se foi.

Eu sempre achei que o dinheiro e as coisas que ele compra trouxessem a felicidade, e então todas as pessoas ricas seriam felizes.
Mas não é assim.

Nós vemos como a pobreza pode facilmente causar a infelicidade, mas nos enganamos ao acreditar que o dinheiro resolve todas as coisas.

A vida está cheia de coisas e eu não negociaria minha vida com ninguém, nem mesmo o mais abençoado que eu conheça, aquele mais rico.
É uma coisa após outra, um desafio após outro, uma situação após outra, dia após dia, sem fim...

São ondas...

Muitos são lançados às pedras pelas ondas.
Alguns, como submarino, mergulham fundo, por baixo das tempestades, em busca da paz.
Alguns simplesmente surfam as ondas e têm muito divertimento.
Alguns afogam-se.

Você não pode parar as ondas; é a natureza do oceano da vida.
Você pode apenas escolher o método que usará para enfrentar.

Você pode ser lançado, como a maioria. Você pode se afogar, como muitos. Você pode surfar e ter todo o divertimento que puder, mas mesmo um surfista se cansa e não tem como dormir sobre uma prancha.

Atravessar estas ondas, de maneira segura e confortável, requer um navio. E esse navio, você não pode tripular sozinho.
Você terá que ter parceiros, verdadeiros companheiros, que possam dividir o trabalho e compartilhar os triunfos.

Então, convoque sua tripulação... E boa viagem!


(A.D.)

COTIDIANO NO LAR




        Um homem chegou em casa, vindo do trabalho, e encontrou seus três filhos brincando do lado de fora, ainda vestindo pijamas. Estavam sujos de terra, cercados por embalagens vazias de comida entregue em casa. A porta do carro da sua esposa estava aberta. A porta da frente da casa também. O cachorro estava sumido, não veio recebê-lo.
Enquanto ele entrava em casa, achava mais e mais bagunça. A lâmpada da sala estava queimada, o tapete estava enrolado e encostado na parede.
        Na sala de estar, a tv estava ligada aos berros num desenho animado qualquer e o chão estava atulhado de brinquedos e roupas espalhadas. Na cozinha, a pia estava transbordando de pratos; ainda havia café da manhã na mesa, a geladeira estava aberta, tinha comida de cachorro no chão e até um copo quebrado em cima do balcão. Sem contar que tinha um montinho de areia perto da porta. Assustado, ele subiu correndo as escadas, desviando dos brinquedos espalhados e de peças de roupa suja. "Será que a minha mulher passou mal?" ele pensou. "Será que alguma coisa grave aconteceu?" Daí ele viu um fio de água correndo pelo chão, vindo do banheiro. Lá ele encontrou mais brinquedos no chão, toalhas ensopadas, sabonete líquido espalhado por toda parte e muito papel higiênico na pia. A pasta de dente tinha sido usada e deixada aberta e a banheira transbordando água e espuma. Finalmente, ao entrar no quarto de casal, ele encontrou sua mulher ainda de camisola, na cama, deitada e lendo uma revista.
        Ela olhou para ele, sorriu, e perguntou como foi seu dia. Ele olhou para ela completamente confuso, e  perguntou que diabos havia acontecido em casa para tudo estar tão bagunçado.
        Ela sorriu e disse: - "Todo dia, quando você chega do trabalho, me pergunta o que eu fiz o dia inteiro dentro de casa."  -"Tá, e daí ?"  -"Bem... hoje eu não fiz nada !"

AD

==================================================

7 de mar de 2014

Obrigado Vida


Ao acordar, agradeça à vida...
Pelo ar que tu respira
Pelo mar que te inspira
Pelo amor que te faz superar a dor
Pelo sol que te dá calor
Pelo frio que te faz tremer
Pelo agasalho para te aquecer
Pelo rio que te dá água para beber
Pelas flores da primavera
Pelos amores
Pelas coisa belas
Por mim
Por ti
Por ele
Por ela
Vivendo à vida com o coração cheio de amor,
até no frio sentirás calor

Poema de: Carlos Adriano F. dos Santos
Adriano Gaúcho Poa - Poemas Contos & Versos

VISITE O BLOG  
http://www.adrianogauchopoa.blogspot.com.br/

==============================