8 de jan de 2015

A VIDA NÃO É UM SONHO E ISSO NÃO É NADA FÁCIL !



 A gente aprende a sonhar muito cedo. O que você quer ser quando crescer? Os sonhos pululam e fantasias transitam em devaneio. Quer casar com quantos anos? Sonhamos acordadas, e esse é o sonho mais gostoso! Com quem será a sua primeira transa? Na imaginação, o fundo musical é sempre ideal. Mas ... raios! Essa é uma das primeiras decepções: a vida não tem trilha sonora!
Mas a gente continua né? fazer o quê? Já o primeiro amor na maioria das vezes acaba mostrando que o
mocinho não gosta da mocinha, ou vice versa, o que importa é dar errado. E a gente, no auge do egocentrismo da adolescência, se pergunta: "Ué ... por que ele não gosta de mim?" Eu fui mais longe, perguntei para uma cartomante, ela me disse que "não era pra ser".
E o tempo vai correndo e a vida vai dando outros toques na gente. É mais fácil jurar que vai ficar rico do que ficar. Mas seguimos em frente porque não somos mulherzinhas. Aquele encontro perfeito que teria que rolar no meio da maior chuva de verão acontece numa lotação. Tá namorando, tá namorando! Estava. Daí vem o segundo encantamento, o segundo namoro, ele é perfeito, mas quem se enche é você, "porque não era pra ser". Vai se formar quando mesmo? O colégio não é como a Malhação e a primeira transa quase nunca é a melhor, nem a pior.
E daí o universo faz a tal da conspiração e você encontra o seu príncipe encantado... O tempo passa e vocês estão apaixonados, mais um aniversário e os laços continuam fortes. Depois de algum tempo e de dezenas de brigas, o amado torna-se um tanto quanto irritante, mas você continua amando ele, e se irritando com ele. Como pode? Não era pra ser assim. É hora de se perder nas suas certezas. Nos sonhos, nos filmes e na vida dos outros, o amor é sempre perfeito, tipo uma babaca de branco correndo pra abraçar um babaca de branco na praia. Mas talvez, na vida real, não seja muito bom usar branco na praia porque suja fácil. O que eu quero dizer com tudo isso? Que a mocinha também é um pé no saco quando está de TPM e que a vida pode ser linda sim, mas nem sempre é ou perfeita.
É muito difícil lidar com as expectativas surreais que criamos e cultivamos. É muito difícil não ter uma musiquinha pra melhorar o climão. Será que estou muito pessimista hoje? Perguntei para Sônia Blota, a terapeuta do Delas, e olha só o que ela respondeu: Entre o otimismo babaca e o pessimismo chato, existe um mundo de coisas que a gente pode fazer com as nossas expectativas: podemos fazer do sonho uma meta a ser atingida. Na prática, funciona assim mesmo, sonhar não é só coisa de viajante sem rumo. O sonho é o primeiro capítulo do "fazer acontecer". E o bacana é seguir para os próximos capítulos, que como sabemos bem pelas novelas, sempre guardam ótimas surpresas!
Comece a pensar como, com quem e quando quer que as coisas aconteçam!
Outra coisa que é importante é entender bem a diferença entre ser perfeito e ser completo. Perfeição não existe, e se passamos a vida atrás dela, sempre acabaremos decepcionados. Mas esperar para ser uma
pessoa completa, isso sim, pode ser um enorme objetivo de vida.
Pensar "como eu posso ser uma pessoa mais completa"? Isso anima a entrar nas experiências e ajuda a impedir de cair do vigésimo andar quando a coisa não der certo. Porque você faz a coisa por você, por ninguém mais. A dica é: a expectativa é tua, o sonho é teu, porque você não pega as rédeas afinal?

( D.A )

============================================================




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente sobre a mensagem acima que você leu