24 de jul de 2011

Melhor Coisa

Quando uma pessoa pensa nas melhores coisas da vida, geralmente pensa mesmo em coisas. Carros, casas, computadores, roupas, jóias, jantares, dinheiro... etc. Mas há uma técnica infalível para que você descubra quais são as melhores coisas da vida para você: Imagine que você acordará amanhã e será a única pessoa viva em todo o mundo. Ninguém mais estará aqui. Enquanto você viver, terão todos morrido.

Além disso, ao acordar, você encontrará um bilhete endereçado a você dizendo: Como presente de "nova vida", você pode escolher qualquer dessas coisas, para passar o resto de sua existência:

1. As pessoas mais importantes da sua vida, de hoje ou do passado, vivas ao seu lado,
2. Todo o dinheiro, riquezas e produtos que você desejar ou
3. Vida eterna.

Você só pode escolher UMA dessas coisas. As outras duas não existirão neste novo mundo.

Não vou responder para você, apenas sugerir que você pense sobre com qual dessas três coisas você poderia passar os próximos 100 anos (ou a eternidade), mesmo sem ter as outras duas. Mas pense agora. Eu espero.

(...)

Pensou? Então, se o "tico e o teco" da nossa cabeça tiverem chegado à única conclusão lógica, me diga uma coisa: por que as pessoas insistem em achar que as melhores coisas da vida são coisas?

Um carro novo? telefone celular novo? software novo? casa nova? óculos novo? roupas novas? jóias novas? Será mesmo? Será que vivemos para trabalhar mais, consumir mais e achar que a moda seja um princípio que jamais possamos quebrar? Claro que todas essas coisas têm um lado bom e não seria lógico abandonar tudo e sair pelo mundo vestindo uma túnica e um par de sandálias. Roupas e equipamentos novos são bem vindos. Mas será que a sua vida não está presa em uma espiral de gastos impensados? Será mesmo que o que você gasta em restaurantes, barzinhos, lan-houses, festas, viagens, equipamentos e coisas absolutamente dispensáveis não poderia ser investido na sua própria vida? Naquelas pessoas mais importantes?

A chave é o e-q-u-i-l-i-b-r-i-o.

Joann Davis afirma que "As melhores coisas da vida não são coisas". Cerque-se de pessoas que também pensem assim, ou você acabará tendo que gastar o que tem e o que não tem para fazer tais pessoas felizes. E jamais conseguirá isso por muito tempo, de qualquer forma. Pessoas que querem coisas, sempre querem coisas maiores, melhores, mais caras, mais novas. São pessoas para quem os melhores programas de TV são os intervalos comerciais. Isso pode ser ótimo para a economia de um país, para os governos e corporações empresariais. Mas não é ótimo para você. É péssimo, porque o seu problema não é incentivar a economia nacional. O seu problema, ou tarefa, é viver e ser feliz.

Abraços e sorrisos das pessoas certas, e até a simples presença silenciosa delas, vale mais do que o último "grito" da moda, uma conta enorme no banco ou o carro do ano. Ter um ombro sobre o qual se apoiar, um amigo que continuaria seu amigo mesmo que você perdesse tudo e pessoas que querem você feliz valem mais do que a última promoção "imperdível". Guarde seu dinheiro. As melhores coisas da vida não são coisas.

Aldo NovaK

========================

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente sobre a mensagem acima que você leu